Experimentação com animais

Inúmeros pacientes em todo o mundo viram melhorar a sua qualidade de vida graças aos medicamentos e produtos de saúde inovadores. A indústria farmacêutica está a investigar e desenvolver constantemente medicamentos cujo alvo é melhorar a forma de tratar as doenças. O desenvolvimento de novos medicamentos acarreta a realização de ensaios em animais, por forma a garantir a segurança dos pacientes.

Quando estes ensaios se revelam satisfatórios, realizam-se estudos clínicos em humanos. É importante mencionar que os animais são usados na investigação médica apenas quando é absolutamente necessário e inevitável, após uma revisão ética, em situações nas quais não existem outras opções adequadas.
 

Bem-estar dos animais

O bem-estar destes animais é de importância fulcral. Em Espanha, o Real Decreto 1201/2005 regula a proteção dos animais utilizados para experimentação. A sua finalidade é garantir essa proteção e, nomeadamente, dispensar os cuidados adequados aos animais utilizados; não lhes causar desnecessariamente dor, sofrimento, angústia ou lesão prolongados; evitar qualquer duplicação inútil de procedimentos; e reduzir ao mínimo o número de animais utilizados nos procedimentos, aplicando métodos alternativos na medida do possível.

A Allergan partilha o objetivo da indústria farmacêutica de reduzir, aperfeiçoar e, desde que possível, eliminar os ensaios em animais. Porém, enquanto não existirem outras opções seguras, eficazes e aprovadas pelas autoridades de saúde de todo o mundo, a lei continua a exigir, no mínimo, o uso de alguns protocolos de experimentação em animais, por forma a proteger a saúde e a segurança dos pacientes que dependem de medicamentos e de outros produtos imprescindíveis e, às vezes, vitais.

A Allergan anunciou recentemente que a FDA (junho 2011) e as autoridades regulatórias europeias aprovaram um ensaio in vitro (isto é, que não envolve o uso de animais) para determinar a potência dos produtos da Allergan baseados na toxina botulínica. A Allergan estima que o novo ensaio irá reduzir a utilização de animais em experiências em 95%, no mínimo, nos próximos três anos, na medida em que outras autoridades do mundo aprovarem este novo ensaio.

A Allergan é pioneira no desenvolvimento deste ensaio in vitro.